Conto de Natal

Todo Natal as pessoas se encantam com coisas simples como, luzes que ora acendem e ora apagam, árvores enfeitadas, enfeites e guirlandas e o tão esperado Papai Noel, que se perde enrolado a festões em meio aos sonhos de muitas crianças do mundo inteiro.

Juliet era uma dessas crianças, seu maior sonho era ver o Papai Noel, mas enquanto o Natal não chegava, ia se contentando com pães doces e biscoitos de canela em formato de estrelas. Ela era uma garota privilegiada, morava em Nova York, onde tudo no Natal é simplesmente mágico, principalmente quando a neve começa a tomar conta dos telhados das casinhas da cidade. Seus grandes olhos azuis ficavam maravilhados com tanta graciosidade do local onde morara. Porém, em um desses finais de ano de um ano qualquer ela já não via tanto sentido em ficar alegre, quando começou a se dar conta de que o Natal não acontecia apenas em Nova York, que tudo aquilo não era feito apenas para ela, e nem todas as crianças tinham a mesma sorte. Juliet estava crescendo, crescendo e enxergando o mundo que já não era mais o de sonhos e fantasias, de brinquedos, e Papai Noel que nunca aparecia, apenas deixava seus brinquedos em baixo da árvore de Natal próxima à lareira, como mero coadjuvante. Sentada em sua cama cor de rosa com os pezinhos já alcançando o chão, deu um berro:

- Mãããããããããe!

E lá vinha uma jovem senhora de seus trinta e poucos anos, Anet, correndo ao subir os degraus da escada que dava para o quarto da menina.

-O que foi Juliet? Está passando mal? Anet tinha o par de olhos azuis acinzentados agora esbugalhados e seu rosto em uma palidez mórbida.

-Não. Respondeu a menina ao caso e sem a menor preocupação com o estado de choque de sua mãe.

- O que foi então?! Fale minha querida! Com as pernas moles, Anet se sentou ao lado da filha, aos poucos seu rosto começou a ganhar um aspecto mais saudável.

Com a mãozinha no rosto, a menina começou a falar.

-Mamãe eu estava pensando, com tantas crianças no mundo que não tem tanta sorte como eu, por que apenas eu posso ter o que quero?

Anet fez menção de responder, mas foi interrompida no mesmo instante por Juliet que continuou.

-Se posso ter o que quero, então decidi compartilhar do que tenho com quem não tem aquilo que tenho. Entendeu?

A mãe de Juli ficou atônita com o que a filha acabara de dizer, não sabia o que responder e o silêncio predominara durante alguns segundos, enquanto a menina batia as pestanas de seus olhos azuis esperando uma resposta.

-Amm,er...Minha filha, como pretende fazer isso?

- Acho que se nós olharmos ao redor, encontraremos alguém que não tenha o que temos e poderemos ajudar. Você me ajuda?

Anet sorriu ao ver que a filha tão pequena já pensava em fazer o bem, então decidiu ajuda-la.

-Ok, mocinha, então vamos para o mercado comprar algumas coisas de Natal e entregar a essas pessoas, certo?

-Combinado.

Assim as duas saíram para comprar cestas de Natal, brinquedos, doces e até enfeites, começaram a fazer uma busca por Nova York, das famílias que estavam passando por necessidades. Encontraram muitas, mas infelizmente não puderam ajudar todas, então convocaram as mães de seus amiguinhos de escola, claro que algumas se recusaram, outras aceitaram felizes em poder ajudar.

No final a ideia da pequena Juliet deu certo.

-Mamãe eu descobri uma coisa. Disse Juliet ao final da missão.

-O que meu anjo?

-Que Papai Noel daqueles com barba e trenó não existe.

Anet ficou perplexa novamente com o que ouvira da boca da filha.

-Quem te contou isso?

-Ninguém, é que eu descobri que o Papai Noel pode ser qualquer um de nós.

-E como descobriu?

-Simples, ele nunca aparece, não da forma como imaginamos, mas hoje nós fomos o Papai Noel de muitas famílias e crianças. Tchau agora vou brincar.

A menina deu um beijo carinhoso no rosto de sua mãe e saiu correndo para brincar com seus amiguinhos na neve do Central Park. E assim Juliet descobriu o que era o verdadeiro espírito de Natal.

 

Espero que nesse Natal vocês descubram o verdadeiro espírito de Natal e que sejam o Papai Noel de alguém que esteja precisando de um em sua vida.

Feliz Natal à todos!



21h44 |




Blog de poesias

Oi pessoal...faz tempo que não entro aqui(O tempo anda curto, como diria minha avó)...Hoje estou passando para deixar o endereço do blog de poesias da mais nova blogueira do pedaço, Mara Liz Cunha. Entrem e deixem seus comentários por lá...Super beijos para todos que leem,comentam e os que não comentam também.

P.S. Estava com saudade daqui...

Beijo



08h34 |




I just want a love that will last

Era uma tarde de primavera, as flores exalavam o perfume pelo jardim daquele parque que ficava perto da escola. O sol sorria os raios dourados que refletiam em seus cabelos levemente bagunçados pelo vento suave... Com sorriso fácil e olhar doce, você vinha ao meu encontro, me tomava pela cintura e me rodava fazendo com que eu fechasse meus olhos e sentisse o pôr do sol em meu rosto e o amor preenchendo meu coração. Fazendo meus pés tocarem o chão levemente. Você me colocava contra seu corpo e nossos rostos ficavam frente a frente, não existia ninguém naquele nosso momento, apenas eu e você. Senti seus lábios macios tocarem minha face em um beijo doce e tímido, encostando sua testa na minha pude sentir sua respiração e seu hálito fresco perto dos meus lábios, fazendo assim com que nossos lábios se encostassem suavemente, e suavemente pude sentir o sabor do seu beijo, uma única vez eu senti o sabor do seu doce beijo que hoje é apenas uma memória viva em minha mente e em meu coração.

Eu apenas queria um amor que durasse para sempre...

 



18h35 |




Jogo pela internet

Olá meninas tudo bem?

Como foram de festas??? Espero que bem e que não tenham exagerado no champanhe assim como a Diva Mariah Carey rsrs

Vamos ao que interessa ...Hoje estou aqui para falar de um jogo que achei legal e interesante chama-se Miss Bimbo (eu sei o nome parece estranho) mas é um jogo fashion(não é  um jogo fútil) em que você pode escolher a sua Bimbo (a bonequinha, a doll ou que vocês quiserem chamar) preencher um formulário, só registrar a sua conta de e-mail e pronto, comece a jogar.

Você já começa com 1000 Bimbo Dollars e tem objetivos a cumprir que são chamados de Goals para passar de fase. O jogo conta com outros jogos do tipo quebra cabeça, sodoku entre outros que são bastante educativos(eu sei você deve estar pensando, mas isso é para crianças) aí é que você se engana, pois os jogos ajudam a nossa mente a ter agilidade de raciocinio e sem falar que o site é todo em inglês o que ajuda a treinar e melhorar muito o nosso nível de inglês, e também você pode adicionar pessoas de outros países no seu perfil (sim isso também é um site de relacionamento).E o jogo em si ajuda a gente a desenvolver uma capacidade administrativa para segurar nossos Bimbo Dollars .

Vou dar uma dica, não comece a criar sua bimbo parecida com você, pois em um dos desafios ele pede que você mude a cor e o corte do cabelo, com isso você perde Bimbo Dollars dos quais irá precisar muito nos próximos niveis. Como faço para adiquirir Bimbo Dollars? Tenho que pagar? Só se você quiser, pois alguns jogos ajudam a gente a ganhar BD. Se você gostou do jogo, mas não quer jogar por causa do inglês, não se preocupe no orkut tem comunidades em português que explicam como o jogo funciona, é só procurar por Miss Bimbo.

Veja abaixo algumas das imagens do jogo.

 

Comece o jogo com esse visual, as roupas você pode escolher, mas a cor do cabelo tem que ser loiro e o corte tem que ser esse que aparece na imagem. Preencha o formulário, e  o código, depois dê um Save your Bimbo e faça o login.

 


Agradecendo as meninas que comentaram no meu post anterior.

Um super beijo a todas!!!!

 

 

 

 

 



23h38 |




Para 2010

 

Estamos em pleno fim de ano, faltam exatamente 2 dias para o Ano Novo quando uma amiga minha me ligou e disse:

-Já sabe o que vai pedir para esse ano quando for exatamente meia noite de 31 para 1° do ano?

Minha resposta obviamente foi um “Não” meio seco e assustado, na verdade com essa correria de fim de ano eu nem havia pensado no que pedir, e ela me lembrou de algo que eu havia esquecido.

-Você lembra que na passagem de 2008 para 2009 nós fizemos nosso pedido em um papel da cor que mais gostamos e guardamos em um lugar onde ninguém poderia encontrar até chegar à véspera do outro ano?

-Sim eu me lembro. Respondi, mas não me lembrei onde guardei o papel, enquanto ela estava no telefone comigo eu estava procurando esse papel nas minhas coisas, até que achei e acabei soltando sem querer:

-Achei!

-Achou o quê? Perguntou ela.

-Ah nada. - O que você estava dizendo mesmo?

-Então, o dia de abrir esse papel é hoje, e vamos ver se conseguimos realizar tudo o que pedimos. –Você já abriu o seu?

-Ah, ainda não, vou abrir agora.

-Bem, vamos lá! Continuou ela. –Eu abri o meu e ...

-E...o que foi? Perguntei.

-Poxa, eu pedi um marido e eu consegui, mas sinto falta da vida de solteira, de quando a gente saía com as meninas nem que fosse pra jogar conversa fora, enfim hoje estou casada e esperando meu primeiro bebê. Disse ela quase chorando, mas segurando na voz para que eu não percebesse.

-Hum, mas veja por outro lado, uma criança sempre traz coisas boas e tenho certeza que esse bebê será abençoado.

Ela apenas deu uma risadinha suspirou e disse:

-Vamos, agora diz você. –O que pediu?

-Bem, eu pedi para que Deus me mandasse paz, tranqüilidade e um trabalho legal para poder ter as minhas coisas e pelo visto fui atendida, não pedi muito, pedi coisas simples. –Claro pedi um amor também, mas só se fosse a hora certa, se não veio até agora é porque ainda não chegou a hora certa, continua você.

-Hum, eu pedi uma viagem para o exterior e eu fui atendida novamente, minha lua de mel foi em Buenos Aires. Nessa hora ela já estava rindo e debochando do que havia pedido.

-E eu por fim pedi muita saúde para minha família, pra mim, é claro, e para todas as pessoas que estivessem precisando, também pedi a Deus paz de espírito para confortar todas as pessoas que não estão conseguindo encontrá-la.

Nesse momento eu ouvi um suspiro dela novamente e sim, ela estava chorando, então perguntei:

-O que foi?

-Você ainda pensou nas outras pessoas para fazer seus pedidos.

-Sim, acho que se quisermos receber coisas boas temos que dar em troca, e o que eu mais prezo na vida é a saúde e a paz, e é o que desejo de todo o meu coração para todas as pessoas que realmente precisam e para aquelas que já tem, apenas agradeço.

-Bonito o seu gesto. Disse ela emocionada.

-Vamos, agora pare de chorar, pegue um novo papel e faça os pedidos certos desta vez, não esqueça que agora mais do que nunca você deve pedir coisas boas aos outros, pois tem um ser muito pequeno dentro de você que receberá toda a graça de volta.

E assim, logo depois disso desligamos o telefone, em busca de um novo papel para fazermos os nossos pedidos quando der meia noite de 31 para 1° de janeiro.

E você vai fazer o seu a meia noite? Então vamos lá! Faça, mas saiba pedir, e lembre-se de que tudo que você desejar de bom para o próximo retornará em dobro para você.

Boa Sorte para você que está lendo esse texto e que 2010 seja farto de saúde e paz para todos nós e de muita fé e força para alcançarmos aquilo que desejamos.

Feliz Ano Novo!!!!!!

 



03h02 |




Coisas legais

Como estou com falta de inspiração para escrever meus contos, decidi vasculhar a net e achar alguma coisa legal para minhas leitoras, então achei um site que está presenteando as leitoras com uma

clutch da Raquel Trevisi.

 

 

 

 Quer ganhar? Então se inscreva AQUI, é rápido e fácil.

 

 



15h42 |




Halloween:O conto da festa da escola.

31 de outubro noite de Halloween, festa na escola Orlando Librion. Todos os prédios e corredores da escola estavam enfeitados com velas dentro de abóboras esculpidas em forma de rosto. Morcegos de plástico pregados nas paredes, teias de aranha, esqueletos, etc. Na opinião dos alunos aquela era melhor festa do ano, pois todos se fantasiavam de algum personagem que lhes davam medo e assim se divertiam assustando os outros.

Nina foi com uma fantasia comum de bruxa que ela apelidou de Bruxa da semana santa. Ela e as amigas Clara e Branca (irmãs gêmeas) resolveram ir caminhando para a escola naquela noite, já que estavam fantasiadas, queriam chocar as pessoas que passavam por elas na rua.As gêmeas também estavam fantasiadas de bruxa, só que bruxas esfarrapadas.

Ao chegar à escola se divertiram muito na festa, comendo os doces que cada um saiu pedindo nas portas, havia bolos, balas, chicletes que deixavam a língua roxa, chocolates amargos que as pessoas davam de propósito, entre outros.

A meia noite elas tinham que voltar para a casa, mas Nina quis esticar mais um pouco aquela noite, pois havia conhecido alguém, era  Otávio um lindo rapaz loiro de olhos azuis turquesa, lábios e bochechas rosadas. Os dois ficaram, Nina se apaixonou por ele e ele por ela. Assim o jovem rapaz se ofereceu para levar Nina até sua casa, pois era o caminho da casa dele. Foram caminhando o que deu tempo dele mostrar onde morava, era um lindo casarão azul, que ficava a duas quadras da rua dela.

-Engraçado eu sempre passo aqui, e nunca prestei atenção nessa casa. Disse Nina.

-É, quase ninguém presta atenção nela. Respondeu o garoto abaixando a cabeça e sorrindo.

-Você mora há bastante tempo aqui?

-Mais ou menos, há algum tempo, mas nem tanto assim.

Ele a deixou em casa e se despediu, dizendo:

-Vá, mas não olhe para trás.

-Por quê? Perguntou Nina

-Hoje é Halloween e já passa da meia noite, dizem que não presta olhar para trás.

Ela deu risada e logo depois um beijo em Otávio, entrou em sua casa sem olhar para trás como havia recomendado o rapaz.

Foi até a janela de seu quarto para ver se ainda conseguia ver o garoto, mas a tentativa foi em vão, Otávio já havia ido embora.

Na manhã seguinte Nina foi até a padaria só para ter a desculpa de passar em frente a casa do garoto, mas a surpresa veio quando ao passar no local, constatar que nada havia, nem casa nem nada, apenas um terreno baldio.

Nina então resolveu tocar a campainha do vizinho do terreno e perguntar sobre a casa.

-Garota já faz trinta anos que moro aqui e a única casa que existiu nesse terreno foi há quinze anos. Disse o senhor que atendeu Nina.

-E o senhor sabe o porquê a casa não existe mais e quem morou nela?

-Bem o que sei é que morava um casal que tinha apenas um filho de 17 anos que sumiu no dia de uma festa do colégio dele, desde então o casal sofreu muito, pois o corpo do garoto nunca foi encontrado e algumas meninas batiam na porta afirmando ter visto o filho deles e que ele até havia levado elas para casa. – Eles sabiam que tudo não passava de invenção das meninas, e decidiram se mudar e mandaram demolir a casa, o terreno está à venda.

Ao ouvir aquilo Nina gelou da cabeça aos pés e ainda continuou a perguntar.

-Mas porque as meninas iriam mentir sobre tal fato, qual o interesse?

-Vem cá garota, se aproxime do portão que vou te contar o que acontece realmente.

Nina se aproximou, mas com cautela e o velho continuou:

-Dizem por aí que toda noite no mesmo dia em que ocorreu a festa do colégio dele, a alma do garoto participa da festa, escolhe uma garota a quem ele faz se apaixonar perdidamente e a leva para casa. –Por isso acho que não é invenção das garotas que já vieram o procurar, aposto que você é uma delas.

Nina não disse nem que sim, nem que não, apenas ficou olhando para o velho querendo perguntar mais alguma coisa e assim fez:

-E porque a alma dele faria isso?

-Alguns falam que ele estava apaixonado por uma garota que não dava bola para ele e na noite da festa ele iria se fantasiar para tentar roubar um beijo da garota, mas o irmão mais velho da garota descobriu e mandou que sua gangue desse fim no menino. -Desde então revoltado a alma dele se materializa para ir à festa da escola, ele escolhe sempre uma garota que se parece com a menina por quem ele havia se apaixonado e que tenha 17 anos e a faz ficar perdidamente apaixonada por ele.

Nina agradeceu o velho pela informação e foi embora, mas ainda não contente o suficiente ela decidiu se aprofundar no assunto e foi atrás de algumas meninas que já não tinham mais 17 anos como ela, mas que já haviam passado pelo mesmo episódio. Ela encontrou uma moça de 25 anos chamada Jussara que lhe contou que o tal senhor que atendeu Nina é o irmão da menina de quem o garoto se apaixonou e foi o próprio quem mandou matar o garoto, mas não tinha nada provado porque o corpo nunca foi achado.

 

Happy Halloween pra vocês garotada....

 

 



17h54 |




A princesinha

Sinopse
Criada na distante e exótica selva da Índia, a jovem SaraCrewe (Lisa Matthews), sempre viveu em um mundo cheio de contos mágicos, riquezas e o carinho de seu pai. Um dia, o valente capitão Crewe (Liam Cunningham) é chamado para a guerra e Sara é enviada a uma escola para garotas especiais em NY. Enfrentando a disciplina severa da diretora Minchin (Eleanor Bron), Sara conhece um outro lado do mundo, um lado triste, sem fantasia... Que ela pretende mudar! Com muita imaginação, a menina vai transformando pessoas, ensinando a elas que a verdadeira alegria está dentro de cada um de nós. Este filme foi indicado ao OSCAR de 1995 por melhor direção de arte e melhor fotografia. A princesinha é uma história baseada no conto infantil de Frances Hodgson Burnett, a mesma autora de "O Jardim Secreto".


Eu tive que postar isso, pois no dia 02/10/2009 o filme passou no SBT, e fazia tanto tempo que eu não assistia, é um dos meus filmes prediletos, juntamente com "O Jardim Secreto".



17h34 |




Como nasceu o Amor

 

 

Em um lugar muito distante chamado Sentimento, morava  Dona Cumplicidade, uma mulher de seus trianta anos, de pele morena e cabelos compridos até a cintura, ela era casada com o Sr.Lealdade, um senhor de seus cinquenta e poucos anos de cabelos grisalhos e de aparência ainda jovial.

Eles tinham um filho chamado Fidelidade que tinha uns quatro para cinco anos, ele sempre brincava com um coleguinha chamado Traição, que por sinal era um garoto muito levado e vivia aprontando. Ao ver a situação piorar Fidelidade pediu  aos  pais que tratassem de providenciar uma irmãzinha o mais rápido que pudessem, pois ele já estava cansado das brincadeiras sem graça de Traição.

Passado alguns meses, Dona Cumplicidade vendo a tristeza de seu filho, por não ter com quem compartilhar suas brincadeiras, sonhos e aventuras, resolveu ela então conversar com seu marido sobre ter mais um filho.

Sr.Lealdade não gostou muito da idéia a princípio, mas depois acabou aceitando e na mesma noite eles trataram de providenciar mais um bebê para completar a família.

-Lealdade?Disse Cumplicidade para o marido.
 

-Sim,Cumplicidade!

-Fidelidade falou que queria uma irmã, e se vier um irmão?

-Se vier um irmão não sei o que fazer, mas será amado do mesmo jeito.

-Mas e se ele não gostar?

-Se ele não gostar, não podemos fazer nada além de esperar que o tempo dê um jeito nisso.

Depois de uns trê meses Dona Cumplicidade descobriu que estava grávida, foi ao médico ao longo da gravidez e nunca descobriu o sexo do bebê, pois ele estava virado de bumbum para eles.

Parecia um mistério, que só seria desvendado quando nascesse...
 

Chegou o tão esperado dia e Dona Cumplicidade sentia as contrações, que horas passavam, horas voltavam. Ela foi levada ao hospital pelo vizinho Amizade pois nesse horário seu marido estava trabalhando.

Ao chegar ela já foi direto para a mesa de parto, logo entrou a médica que se chamava Compaixão e pediu para que ela ficasse tranquila e que apenas fizesse muita força para empurrar o bebê.

Assim ela fez, e o bebê ao invés de chorar nasceu sorrindo.

-O que é Doutora?Perguntou Cumplicidade
 

-É um lindo bebê que já nasceu sorrindo.-Você prefere menina ou menino?

-No caso não sou eu que prefiro é o meu filho, e ele quer muito uma irmã!

-Ele é um garoto de sorte, pois é uma linda menina!

Dona Cumplicidade passou apenas um dia no hospital e logo foi para casa levando sua filha que ainda não tinha nome, já que na gravidez inteira não souberam o sexo do bebê.

-Filho, vem conhecer a sua irmãzinha!Ela o chamou.

-Então é uma irmã mesmo, de verdade?

-Sim meu filho, a irmã que você tanto pediu!

-Qual nome você deu a ela?

-Ainda não dei nome algum, por quê?

-Me deixa ver o rostinho dela mãe!

-É uma bonequinha.

-Mãe eu tenho um nome para ela!

-Tem? Disse Dona Cumplicidade surpresa ao ouvir isso. –E qual é o nome que você quer dar a ela?

-Ela vai se chamar Amor!

-Amor?Mas porque escolheu esse nome, onde ouviu falar?

-Um dia eu dormi e sonhei que Deus me falava que o Amor tinha os olhos brilhantes, era puro, frágil, delicado e inocente e de tão branco chegava a ser transparente, que podia enxergar do outro lado. – Eu achei esse nome bonito, e minha irmãzinha se parece muito com o que Deus havia me dito no sonho.

Nesse momento uma lágrima caiu dos olhos de Dona Cumplicidade  e logo vieram duas irmãs batendo na porta para visitar o bebê, eram a Alegria e a Felicidade.

-Que bebê mais lindo! Disse a Alegria.

-Qual o nome?Perguntou a Felicidade.

-Ela se chama Amor. Respondeu Dona Cumplicidade.

-Mas que nome lindo, nunca ouvi falar! –Quem escolheu?Perguntou a Alegria.

-Foi o irmão dela, Fidelidade.

E assim nasceu o Amor...


Ganhei um selinho do blog da Fernanda

 

- Responder a pergunta o que é um DOCE PECADO pra você ?  
              - Indicar o selinho para 5 blogs.

Um doce pecado para mim é comer todos os tipos de doces o dia inteiro só por prazer.

Era uma vez sonhar

Cinderela teve um final feliz

Coluna da Cary

Story  of Princess

Sete balas

 

Beijos

 



03h24 |




Eu voltei agora pra ficar...

Ois, ufaaa!

Até que enfim eu estou de volta...Passei esses dias estudando feito louca para prestar um concurso, e Meu Deus!...Como eu estudei! E pior ainda é que  para o que eu prestei(auxiliar de biblioteca) não tem nada haver com o que eu me formei(Turismo) apesar de eu amar livros.Como eu estava dizendo eu amo livros e se tem um lugar em que eu moraria seria em uma biblioteca, não tem coisa mais estimulante do que viver cercada por livros de todos os tipo e documentos de todas as espécies, onde se pode saber sobre o mundo todo sem sair do lugar, o livro é mais do que a internet(na internet tem tanta informação, que acaba sujando aquilo que era para ser uma viagem ao mundo e virando poluição visual, ou até mesmo excesso de infomação);como diz a música do Capital Inicial "Inteligência ficou cega de tanta informação".

O livro além de nos fazer viajar nos dá asas à imaginação e estimula a criatividade, pois ao ler a história sempre imaginamos como seria, enquanto que ler uma história que contém cenas e imagens perde a graça, talvez seja por isso que os leitores de best-sellers que viraram filmes, se desinteressam tão rapidamente pela obra, que talvez se ficasse só no imaginário das pessoas, passaria pelo teste do tempo  e não seria apenas "a febre do momento". Eu não sou nenhuma cineasta tão pouco entendo sobre essa área, mas acho que para fazer uma história virar filme, tem que ter muita arte, muita graça e muita, mas muita imaginação, tanto é que contos como Peter Pan, A Bela Adormecida, Branca de Neve e muitos outros sobrevivem até hoje porque são antigos, e antigamente não tinha-se o costume de fazer filmes para esses contos, e nunca ninguém ouviu falar em A Cinderela ²³, sim porque dar continuidade à uma história exige muita imaginação e sabedoria para poder atrair a atenção dos leitores, sendo assim esses contos nos deixa sempre com um gostinho de quero mais, pois Quem nunca sonhou em ser uma Cinderela?Talvez nunca crescer, como Peter Pan?As histórias e contos tem sempre que deixar uma janela aberta para o nosso imaginário e cada um de nós darmos o fim que quisermos para elas, pois quando um autor encerra sua obra, simplesmente perde a graça, não sei se notaram, mas a famosa frase "E Foram Felizes para Sempre" Nos deixa uma janela aberta para a imaginação e nos encanta até hoje.

Bem, é isso, termino aqui com uma frase  que me veio na cabeça hoje:

"Se há amor, não existe nada mais  forte do que amar uma pessoa pela alma que ela tem."

Beijos a todos vocês que leem, comentam...Amo todos!

 

 



02h12 |




*Always in my heart*

Eu poderia escrever muito sobre Michael Jackson e ainda assim não conseguiria falar sobre ele, e o que ele foi e sempre será no mundo, mas suas próprias canções falam sobre amor,seus medos, angustias e o desejo de um mundo melhor.

Hoje, se ele estivesse nesse mundo iria completar 51 anos, ele deixou músicas, exemplos  de humanidade e humildade a serem seguidos, mas também deixa saudade.Chorão Só me resta dizer que...

"I'll never let you part

Nunca deixarei você partir

For you're always in my heart"

Pois você está sempre em meu coração!->S2<-

I LOVE YOU!!!



03h35 |




Nas asas do pensamento

Vai pensamento, vai bem longe buscar aquilo que é da minha imaginação e da minha alma...

Me traga o amor mais puro, o lugar mais lindo, e me faça adormecer e sonhar com um novo amanhã...

Vá até o infinito do arco-íris, até onde nunca ninguém alcançou, e desvende os mistérios mais ocultos da vida...

Me leve em suas asas, me faça transcender, mas depois volte, para que eu possa escrever.

 

P.S. Ficarei sem postar por alguns dias...estou sem tempo...tendo que estudar para mais um concurso...vou sentir falta daqui e de vocês...mimimi...Fiquei super feliz pois fiquei com o 3º lugar no Once upon a time, com o texto aí de baixo(primeira vez que participo)...enfim...é só...

*Gentemmm está tão frio hoje...ui ui ui...

Super Beijosss

 



18h19 |




O mistério do livro "O conto dos contos"

Existem apenas três livros, em três bibliotecas do mundo, um desses foi parar na antiga e gigantesca biblioteca da pequena cidade de Glenwoody.

-Nossa, então o livro que todos comentam veio parar aqui? Lia Perguntou para Dona Zaida, uma antiga funcionária da biblioteca.

-Sim, meu anjo.- Gostaria de ler?

-Claro, há muito tempo espero por isso!Respondeu a menina com um misto de entusiasmo e ansiedade.

-Mas, tem um porém...

-Qual?? Lia arregalou os olhos.

-Esse livro só pode ser lido aqui na biblioteca mesmo, são recomendações do próprio livro.

-Mas porquê? Como assim? Lia ficou curiosa para saber.

-Não me faça mais perguntas meu anjo, é somente isso que posso lhe responder, nada mais.

Por um momento passou pela cabeça da menina em desistir de ler o livro, mas ela já estava determinada e respondeu:

-Ok, ok Dona Zaida, quero começar agora então!

Dona Zaida foi até o fundo da biblioteca virou à esquerda e sumiu, Lia até tentou acompanhá-la com os olhos mas não conseguiu. Depois de uns três minutos a velha funcionária apareceu atrás dela e com o livro nas mãos.

-Está aqui meu bem! Disse Dona Zaida.

A menina deu um pulo de susto.

-Aii Dona Zaida, nossa, quase a senhora me mata de susto!- Como apareceu aqui se a senhora foi por ali?

A velhinha de aparência inofensiva apenas sorriu e disse:

-Venha vou te levar ao salão nobre, para que possa ler com tranquilidade.- Você está com relógio?

-Sim estou, porquê?

-Tire-o e me dê, ler um livro perto de um relógio não é uma boa coisa.

-Não é?

-Não, porque, ficamos preocupadas com as horas e não damos a devida importância a leitura.

-Ahh, entendi.

Elas viraram a direita da prateleira do meio e seguiram reto, logo na frente havia uma escada que dava para um andar de baixo, uma espécie de porão.

O cheiro de papel antigo era inevitável, mas o lugar estava bem organizado, tinha um sofá de veludo vinho, cortinas que pareciam cetim, um armário onde provavelmente eles guardavam documentos ou algum arquivo da biblioteca.

Lia sentou no sofá e Dona Zaida fechou a porta, na verdade ela trancou a menina lá dentro.

A partir daí o que aconteceu com Lia lá dentro eu deduzi que foi  tudo normal, como havia ocorrido comigo.

Eu estava escondida atrás de uma das enormes cortinas das janelas, em um lugar de onde eu podia ter uma visão ampla daquilo em que eu estava interessada em ver.

As horas foram passando, minhas pernas já estavam doendo de ficar em pé, o sol já estava indo embora, era quase sete da noite, faltavam três minutos.

Sete horas em ponto e o relógio enorme de parede e bem antigo badalou.Dona Zaida fechou toda a biblioteca, por um momento fiquei com medo de ficar presa, mas eu tinha que saber o que havia acontecido comigo, na vez em que li o tal livro. Dona Zaida agora se dirigia a porta do suposto porão, tudo o que eu ouvi foram os clicks das voltas que a chave deu ao abrir a porta, e de repente um vento muito forte invadiu toda a sala da biblioteca, me agarrei nas cortinas, o relógio badalava frenéticamente e eu consegui ver que os ponteiros estavam loucos e a luz do sol estava apontando na janela. Eram duas horas da tarde novamente, o horário exato em que Lia entrou naquele salão para começar a ler o livro.

-Nossa Dona Zaida, eu peguei no sono e só me lembro que estava na metade do livro! Ouvi Lia dizendo.

-É assim mesmo minha querida isso acontece com todos! Dona Zaida sorriu novamente.

-Que horas são agora?

-Não se preocupe ainda são duas horas da tarde.

 

Eu não pude acreditar no que ouvi, e Lia também parece que não estava acreditando, foi quando eu em voz baixa acabei falando junto com ela:

-"Não, isso não pode ser verdade. "

-Como assim Dona Zaida? - Então eu sonhei que li a metade do livro?Mas...Mas!Continuou ela

-Sem mais nem menos,vá para casa menina, você já sonhou demais por hoje!

E até hoje eu me pergunto, como é que tudo aquilo havia acontecido...Mas de uma coisa eu tive certeza, o livro tinha mesmo um mistério, ou talvez um encantamento.

PS.Texto para Once upon a time.

 

Gente desculpa eu ter sumido por um tempo, mas é que a madrinha do meu irmão(mãe da minha madrinha) faleceu, eu nem estava no clima de postar, e acabei deixando a internet de lado.

Respondo aos comentários ainda hoje, e obrigada a vocês que estão sempre por aqui deixando suas marquinhas.

Beijão

 

 

 

 



03h04 |




Cold wind

 

Tudo passou tão rápido...

O sorriso fácil se foi,o  olhar entristecido, mas embevecido de ternura...

Tudo mudou tão depressa

O amor se mudou e deixou espaço para o vazio...

Para onde foi?

O que antes se ouvia em sorrisos hoje se ouve em silêncio...

Das lembranças alegres de um ontem não muito distante, hoje se vaga a solidão;

Dos dias ensolarados com perfume de flor, hoje se tem um céu nublado, perturbado, mas sem dor.

Resta apenas o seu lugar vazio embaixo daquela árvore e um vento frio soprando lá fora.

 

P.S. Gente desculpa, últimamente eu só tenho escrito coisas tristes, e melancólicas e hoje é mais um post desses...São coisas minhas, fico triste e pensativa do nada, talvez dias nublados como hoje me trazem esse efeito, sei lá...

Mas, obrigada a vocês que comentam e também àqueles que apenas leem.

Beijão =*

 

 

 

 

 

 



18h36 |




O certo e o errado?

O que é certo e o que é errado?

Hoje em dia as pessoas perderam a noção do que é certo e do que é errado, já não se sabe mais o significado de um, muito menos o de outro.

Visto que em poucas casas as famílias ensinam que o correto é ser educado, não agredir ninguém e todas essas coisas que nós em nosso íntimo sabemos que seria o correto, mas que nem sempre quando saímos para fora de casa é o que encontramos. Hoje em dia se somos educados, somos rotulados de "idiotas", porque a sensação do momento é agredir as pessoas seja física ou verbalmente.

Qual a graça de agredir as pessoas?O que ganham fazendo isso? Isso seria a tal liberdade de expressão ou falta de respeito?

Uns diriam liberdade de expressão, outros diriam falta de respeito, sendo um ou outro não importa, o que importa é que os valores estão entrando em conflito e a sociedade continua cada vez mais afundando os pés na lama, e cada vez mais iremos ver nos jornais e revistas pessoas perdendo suas vidas a troco de nada, pessoas matando e tendo a breve ilusão de que estão lavando suas almas, preconceitos de todas as espécies, e depois dizem que o homem está evoluindo. Evoluindo para qual tipo de espécie, Homo rídiculus, Homo destrutivos, Homo ignorantus?

Pensem nisso...

Beijoss a todos vocês que são politicamente corretos ou naturalmente errados...rs =*

 

 

 



16h26 |




[ página principal ]